RSS

Arquivos mensais: Novembro 2009

As mulheres são capazes de tudo

Arrancou-lhe os testículos

O britânico Billy Duncan quer apagar da sua memória o dia em que a sua companheira e mãe do seu filho, Helen Hodge, de 34 anos (foto), lhe arrancou os testículos puxando-os com as mãos ao mesmo tempo que o acusava de andar com outras mulheres.

Quando conseguiu libertar-se da companheira estava a esvair-se em sangue. O irmão foi em seu socorro e chamou uma ambulância. Os médicos conseguiram salvar ambos os testículos.”

Porque é que esta noticia deixou-me com aquela dorzinha na barriga que costuma dar quando levamos uma bolada nos tomates!!!

Fonte Correio da Manhã

Anúncios
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 30/11/2009 em Noticias do mundo

 

Camisolas há muitas


Um adepto do PORTO chega a uma loja de material desportivo e depara-se com uma infinidade de camisolas de clubes de futebol.
Só não via a do seu clube. Meio acanhado, pergunta ao vendedor:
– Quanto custa a camisola do Real Madrid?
– 40€
– E a do Manchester?
– Essa custa 50€
– E a do BENFICA? – Oh meu amigo… Essa é a mais cara da loja por se tratar do melhor e MAIOR clube do mundo, e custa 100€ .
Aí, o pobre arrisca:
– Você não tem aí a camisola do PORTO?
– Tenho sim.. Está do outro lado, na prateleira das liquidações e custa 9,50€ .
– Irra!!! Só 9,50€ ???!!!
– Sim, Sim…é uma promoção para liquidação de stocks, essas porcarias não se vendem…
– Então dê-me uma. – e estendeu uma nota de 10€ .
O vendedor vai à caixa registadora, coça a cabeça e meio atrapalhado diz:
– Desculpe, mas não tenho trocos.
Quer levar uma camisola do SPORTING para completar os 10€??

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 30/11/2009 em Anedotas

 

Etiquetas:

Nunca é tarde de mais para ir atrás dos nossos sonhos

À primeira vista pode parecer um texto algo aborrecido de ler por causa do seu tamanho, mas acreditem que esta é daquelas histórias que fez-me pensar que tudo na vida é possível. Este artigo foi tirado do Jornal i, e partilho com todos esta história de vida e acima de tudo, de esperança.

“De todas as pessoas que ambicionavam uma licenciatura este ano, talvez a história mais notável seja a de Tererai, uma mulher de meia-idade que se tornou um dos meus heróis. O seu triunfo pessoal é também um monumento às organizações e aos indivíduos que a ajudaram. Da próxima vez que ouvir dizer que os grupos de assistência internacionais esbanjam dinheiro e criam dependência, lembre-se que Tererai tinha absolutamente todas as probabilidades de continuar a ser uma pastora analfabeta no Zimbabué e que, em vez disso… ah, mas estou a ir depressa de mais.

Tererai nasceu numa aldeia perdida nas zonas rurais da Rodésia, hoje Zimbabué, provavelmente por volta de 1965, e frequentou a escola primária durante menos de um ano. O pai tinha-a casado quando ela tinha cerca de 11 anos com um homem que lhe batia. Parecia destinada a tornar-se mais um activo africano desperdiçado.

Passou-se assim uma dúzia de anos. Jo Luck, chefe de um grupo de assistência chamado Heifer International, passou pela aldeia e disse às mulheres que deviam afirmar-se, alimentar sonhos, mudar as suas vidas.

Entusiasmada, Tererai escrevinhou quatro objectivos absurdos, retirados de feitos que ouvira vagamente terem sido alcançados por africanos famosos. E escreveu: estudar no estrangeiro, tirar a licenciatura, fazer um mestrado e um doutoramento.

Tererai começou a trabalhar para a Heifer e para várias organizações cristãs, como organizadora comunitária. Usou o que aí ganhava para tirar cursos por correspondência, poupando todos os tostões que podia.

Em 1998, foi aceite na universidade estadual do Oklahoma, mas insistiu em levar consigo os cinco filhos, que não queria deixar para trás com o marido. “Não podia abandonar os meus filhos”, recorda. “Sabia que acabariam por ser obrigados a casar.”

O marido de Tererai acabou por concordar em que ela levasse as crianças para os EUA… desde que ele fosse também. A Heifer deu uma ajuda com as passagens aéreas, a mãe de Tererai vendeu uma vaca e alguns vizinhos venderam cabras para ajudarem a angariar dinheiro. Com 4 mil dólares embrulhados numa meia que atou à cintura, Tererai partiu para o Oklahoma.

Tinha-se realizado um sonho impossível, que depressa se começou a parecer com um pesadelo. Tererai e a família tinham pouco dinheiro e viviam numa roulotte em mau estado, passando frio e fome. O marido recusou-se liminarmente a fazer qualquer espécie de tarefa doméstica. Afinal era um homem! E resolvia as suas frustrações desancando a mulher.

“Havia muito pouca comida”, conta Tererai. “As crianças vinham da escola e não tinham o que comer.” Tererai pensou em desistir, mas sentiu que se o fizesse seria uma desconsideração para com outras mulheres africanas.

A universidade resolveu expulsar Tererai por atraso nas propinas. Um responsável da universidade, Ron Beer, interveio em defesa dela e sensibilizou o corpo docente e a população local para a ajudarem com donativos e apoio. “Vi que ela tinha um enorme talento”, diz Beer.

Pouco tempo depois, Tererai conseguiu que o marido fosse deportado para o Zimbabué por lhe bater e obteve a sua licenciatura. E começou a estudar para o mestrado. O marido voltou a juntar-se-lhe, agora fragilizado e enfermo com uma doença que se veio a revelar ser sida. Tererai fez exames, que deram negativo para VIH. Sentindo pena do marido, acolheu o seu antigo algoz e cuidou dele até ele morrer.

No meio de todo este panorama de pressões e dificuldades, Tererai continuava a ter excelentes resultados nas aulas, estudando para um doutoramento na universidade do Michigan Ocidental e preparando uma tese sobre prevenção de sida em África. Voltou a casar-se, desta vez com Mark Trent, um fitopatologista que conhecera na universidade estadual do Oklahoma.

Tererai é a prova de que o talento é universal, embora as oportunidades não o sejam. Há ainda 75 milhões de crianças em todo o mundo que não frequentam sequer a escola primária. Poderíamos dar a todas uma educação capaz por muito menos do que o custo do reforço militar proposto para o Afeganistão.

De cada vez que Tererai alcançou um dos objectivos que tinha escrevinhado num papel tanto tempo antes, era nesse papel, já amarrotado, que assinalava o respectivo cumprimento. No mês passado, assinalou o cumprimento do derradeiro objectivo, depois de ter defendido a tese com êxito. Vai receber o seu doutoramento no mês que vem. E eis como uma antiga pastora pobre, com menos de um ano de escolaridade, vai ganhar a sua batina e tornar-se a Professora Doutora Tererai Trent.”

Fonte jornal i

 

Montagens em 30 segundos

Hoje descobri este site que é bem interessante.
Por vezes gostamos de fazer aquelas montagens só que por desconhecimento de algumas ferramentas como o Photoshop ou apenas por preguiça, ficamos só pela ideia. Este site possibilita de uma forma rápida e fácil a criação de montagens interessantes.

www.photofunia.com, é o link onde podem fazer algumas montagens como as que eu fiz, aqui fica alguns exemplos.

Divirtam-se

Imagem original

Mafia russa

A Angelina sempre foi minha fã

 
1 Comentário

Publicado por em 23/11/2009 em Links

 

Etiquetas:

Extreme makeover

Pareque a Leopoldina decidiu aderir á moda das plasticas e fez uns upgrades, entre eles, o aumento de número de soutien.

Os putos agoram andam todos malucos, antes era verem as barbies das irmãs sem roupa que ficavam quase com uma erecção, agora é com a leopoldina quitada!

Leopoldina 2008

Leopoldina 2009

 

Observa bem a foto

Reparas-te no rabo exposto da rapariga lá atrás?

Se Sim,

Marca uma consulta com o teu oftalmologista porque o rabo em causa é o ombro da rapariga que está com a máquina fotográfica.

Enviado por Rute

 
 

Power Rangers portugueses

esperemos que amanha a selecção não pareça tão larilas como esta imagem

Força PORTUGAL!!!

foto Jornal record